Antes de tudo, a gente não entende nem a realidade direito, imagina esse negócio de metaverso (risos). Você tá se perguntando que isso de metaverso? É produto, empresa ou rede social?

Mas, deixando as brincadeiras de lado, o termo metaverso ganhou bastante força em 2021 quando tio “Zuck” (dono do Facebook) começou a falar sobre isso.

Nesse sentido, separamos informações importantes para começar a entender melhor o que é isso, como seremos afetados e o que podemos aguardar.

Primeiramente, se achávamos que metaverso é uma palavra ou conceito novo, podemos estar um pouco enganados.

Para o canal CNN Brasil, o professor do curso de publicidade e propaganda da Universidade de São Paulo (USP), Luli Radfahrer afirmou que a ideia do metaverso não é algo novo e que o termo surgiu na década de 1980 da literatura cyberpunk, com o livro “Snow Crash”.

De acordo com ele, a ideia representa a possibilidade de acessar uma espécie de realidade paralela, em alguns casos ficcional, em que uma pessoa pode ter uma experiência de imersão.

Portanto, o metaverso não é algo real como o nosso dia a dia. Entretanto, busca representar a sensação de realidade humana e possui toda uma estrutura do mundo real (ou seja, o nosso mundo)!

No segundo semestre de 2021, o CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, anunciou que a empresa mudou de nome e começou a se chamar “Meta”, referência ao conceito do metaverso.

De acordo com o CEO, a mudança marca a nova fase da empresa em estar focada em construir um metaverso.

Desse modo, com o avanço e globalização das redes sociais, o mundo virtual permitirá ainda mais interação entre os usuários a partir de uma realidade aumentada, realidade virtual e outras tecnologias.

Após esse anúncio, o Zuckerberg impactou todo o mercado global. Grandes marcas e empresas, como a companhia Microsoft, começaram a se movimentar e anunciar que também estariam trabalhando para lançar os seus próprios “metaversos”.

Já foi em algum ao vivo? Um estádio ou local lotado com multidão para assistir à apresentação de algum cantor ou banda?

Agora, pense ir em um show sem ter que sair de casa. Isso é possível, já que poderosos nomes como Justin Bieber, Ariana Grande e The Weeknd realizaram shows em um metaverso. É o poder da Internet!

Tem até gente pagando milhões de reais para ser vizinho do rapper Snoop Dogg. Sim, milhões para poder dar um bom dia, boa tarde ou boa noite virtual para o Snoop. Entenda mais dessa história, clique aqui.

E tem brasileiro no metaverso também! A famosa apresentadora Sabrina Sato entrou para o mundo virtual criando a digital influencer virtual Satiko. Sato teve uma sacada visando business, e se prontificou de se lançar no meio virtual. Sakito tem até Instagram e interage bastante com os seguidores.

Simultaneamente, empresas de diversos setores estão se movimentando para acompanhar as tendências globais que o conceito metaverso está trazendo. Ainda pode ser cedo para afirmarmos todas as mudanças, mas já podemos prever que tais mudanças irão mexer no dia a dia das pessoas, na forma delas interagirem nas redes sociais, em tudo!

Preparados para o metaverso?

Quer uma Internet que você possa confiar?
#EntãoLoga